quinta-feira, 17 de abril de 2014

A História da Páscoa



Jesus Cristo morreu, ressuscitou e voltará. A verdadeira mensagem da Páscoa é esta!

segunda-feira, 24 de março de 2014

Louvor ou pedido cantado?


Há algum tempo os tradicionais hinos, presentes nos hinários de muitas igrejas, foram substituídos, parcial ou totalmente, por cânticos contemporâneos, mais conhecidos como louvores gospel, durante os cultos dominicais. Pouco importa se a letra está alinhada com a ortodoxia. O que realmente importa para as novas gerações é que a melodia compassada e em geral lenta dos hinos não é atrativa como as dos novos cânticos, por vezes recheados de efeitos sonoros e entremeados com solos de guitarra e ministrações. A crítica feita aos atuais louvores deve afastar, contudo, o mero saudosismo pelos cânticos do passado, bem como evitar que se incorra no erro de sacralizar determinados estilos ou ritmos musicais. 

Primeiro, a preferência por um ou outro ritmo é questão de gosto, coisa que não se discute. Segundo, não há ritmo sacro ou profano. O que determina a sacralidade de algo é a destinação que se dá (1Co 10:31). O grande motivo desta crítica aos novos louvores está para além de uma mera preferência pelo antigo, e menos ainda deve-se a qualquer resistência à mudança, ao menos de minha parte.

O cerne da questão é, de fato, teológico, e, ainda mais, diz respeito à prática cristã num momento que por essência deve ser inteiramente dedicado a Deus: o culto. Por culto todos nós concordamos, creio, tratar-se de um momento em que cada um dos eventos, atos e intenções deve ser voltado àquele que é alvo da adoração. Se esse entendimento é o correto, como espero, podemos então derivar esse mesmo princípio para os cânticos de adoração a Deus, e verificar se estes realmente cumprem os objetivos a que se propõe. Uma análise superficial mostrará que as letras de muitos louvores cantados nos cultos estão longe de atingir seu objetivo, desviando o foco, que é Deus, para o homem.

Não que estes louvores glorifiquem ao homem. Mas se não chegam a tanto, acabam por voltar-se a nós, servos, e não ao Senhor, no sentido de que tornam as necessidades humanas proeminentes em relação à adoração a Deus. Por vezes, o desvio é sutil, imperceptível aos leigos, e receio que somente uns sete mil crentes chatos espalhados por aí consigam perceber o que muitos chamariam de pura implicância. Mas deixarei aqui algumas dicas, para reflexão, àqueles que ainda cantam qualquer música para Deus durante os cultos de sua igreja simplesmente porque a melodia é bonita ou a letra motivacional.

Fique atento às músicas que contém pedidos bem pessoais, em geral do tipo: lava-me, enche-me, purifica-me, renova-me, usa-me, entre outros. O momento de culto não é para se pedir, mas para se agradecer pelos tantos pedidos já atendidos. Nesse mesmo sentido, tenha cuidado com cânticos que tragam clamores pela coletividade, tais como “faz chover” e “derrama”, pois não fogem a regra do humanismo. São só algumas horas agradecendo, e você terá o restante do tempo para voltar a pedir que Deus faça chover bênçãos. Alguns outros cânticos convocam a marchar, guerrear, pisar na cabeça do inimigo, pular para os lados ou dar brados de vitória, sendo este último um dos temas mais recorrentes em canções gospel.

Não fogem à regra dos cânticos que possuem expressões como as mencionadas acima. Tudo isso, devo lhe dizer, está enquadrado no mesmo problema. São cânticos inapropriados para o momento de culto. Mas isso não quer dizer que sejam pecaminosos, ou inferiores a outros louvores que se concentram em enaltecer a Deus, embora alguns aos quais fiz clara referência sejam realmente inconcebíveis teologicamente. O fato é que muitas canções são inadequadas para o culto solene, assim como são as minissaias.

Se, porventura, persiste ainda alguma aparência de preciosismo ou mesmo preconceito de minha parte, resumirei tudo que tentei dizer até aqui de maneira bastante objetiva: as músicas de louvor a Deus cantadas no momento do culto devem ter somente a Deus como tema, deixando de lado quaisquer necessidades humanas. Em outras palavras, o louvor deve servir para, como já diz o próprio nome, louvar, exaltar, adorar, bendizer, engrandecer e glorificar a Deus, e isso deve estar bastante claro nas palavras utilizadas na letra da canção. Finalmente, devo esclarecer que há muitos hinos que não atingem esse objetivo, bem como há muitos cânticos do movimento gospel que podem e devem ser usados no momento de culto.

Mas este alerta serve também para nos fazer lembrar de que há muitos hinos e até mesmo canções antigas, ricas em adoração a Deus, completamente esquecidas em detrimento de louvores que somente são tocados nos cultos por estarem fazendo sucesso entre os crentes. 

Fonte: Renato César, via Bereianos

segunda-feira, 17 de março de 2014

Cantor desafia Thalles Roberto e André Valadão a fazerem shows gratuitos no sertão



O cantor Samuel Mariano lançou um desafio aos artistas evangélicos: promover um evento no sertão do Piauí tirando todas as despesas do próprio bolso. Os desafiados foram: Thalles Roberto, André Valadão, Davi Sacer e Fernandinho.

Cantores que Mariano sabe que têm dinheiro e que têm público no local. Samuel Mariano concedia uma entrevista para o projeto “Quero Almas” e relatou sua visita ao Piauí. “Eu fui cantar no Piauí e não aguentei e peguei toda a minha oferta e a vendagem do CD e deixei pro missionário”, disse. O cantor pernambucano explicou que se sentiu comovido com a situação do missionário que estava fazendo o trabalho de evangelismo sem ter condições, ganhando cerca de R$400/ R$500 por mês. “Eu gostaria de fazer um clamor pra vocês: vai pro sertão, gente. Pega uma grana aí, liga pra mim, a gente faz um evento. Por que só cidade grande? Por que só cidade volumosa? Por que a gente não se junta para evangelizar o Piauí?”

Mariano explica que as condições não são favoráveis aos artistas, pois não tem hotel cinco estrelas, toalhas no camarim e etc. O cantor deixa claro que são os próprios artistas, caso aceitem o desafio, é que devem pagar as despesas do evento, incluindo passagens e alimentação. “Ai vocês vão pra história desse país, porque vocês vão pegar o dinheiro que eu sei que vocês têm e vão investir de alguma forma em um lugar onde as pessoas só vêm vocês em uma internet péssima”, disse.

Fonte: Gospel Prime

segunda-feira, 3 de março de 2014

10 homens com quem uma mulher cristã não deve casar-se


Minha esposa e eu criamos quatro filhas – sem espingardas em casa! – e três delas já se casaram. Nós amamos nossos genros, e é óbvio que Deus escolheu a dedo cada um deles para combinar com os temperamentos e personalidades das nossas filhas.

Eu sempre achei que Deus gosta de agir como “casamenteiro”. Se Ele pôde fazer isso por minhas filhas, Ele pode fazer por você.

Hoje, eu conheço muitas amigas solteiras que gostariam bastante de encontrar o homem certo. Algumas me dizem que as opções são escassas em suas igrejas, então, estão se aventurado no mundo. Outras desistem em desespero, imaginando se ainda resta algum cristão decente por aí. Elas começam a questionar se deveriam baixar seus padrões para encontrar um par.

Meu conselho permanece: não se conforme com menos que o melhor de Deus. Muitas cristãs têm terminado com um Ismael porque a impaciência as empurrou para um casamento infeliz. Por favor, aceite meu conselho paternal: você está muito melhor solteira do que com o cara errado!

Falando de “homens errados”, aqui estão os 10 tipos principais de homens que você deveria evitar ao procurar por um marido:

1. O incrédulo. Por favor, escreva 2 Coríntios 6.14 em um post-it e cole-o em seu computador do trabalho. O texto diz: “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?”.. Essa não é uma regra religiosa antiquada. É a Palavra de Deus para você hoje.

Não permita que o charme, o visual ou sucesso financeiro de um homem (ou a disposição dele de ir à igreja com você) te leve a comprometer o que você sabe que é certo. “Namoro missionário” nunca é uma estratégia sábia. Se o rapaz não é um cristão regenerado, risque-o da sua lista. Ele não é o certo para você. Ainda estou para encontrar uma mulher cristã que não se arrependeu de casar-se com um incrédulo.

2. O mentiroso. Se você descobrir que o homem com quem você namora tem mentido sobre o passado, ou que está sempre cobrindo seus rastros para esconder segredos de você, fuja para a saída mais próxima. Casamento deve ser construído sobre um fundamento de confiança. Se ele não pode ser confiável, termine agora antes que ele te engane com uma decepção ainda maior.

3. O playboy. Eu queria poder dizer que se você encontra um cara legal na igreja, pode assumir que ele vive em pureza sexual. Mas esse não é o caso hoje. Tenho ouvido histórias tenebrosas sobre solteiros que servem na equipe de música no domingo, mas agem como Casanovas durante a semana. Se você se casa com alguém que estava dormindo por aí antes do seu casamento, pode ter certeza de que ele estará dormindo por aí depois do casamento.

4. O museu. Há muitos cristãos firmes que experimentaram o fracasso sentimental de anos atrás. Desde então, eles vêm experimentando a restauração do Espírito Santo e, agora, desejam relacionar-se novamente. Nessa segunda chance podem ser muitos felizes. Mas qualquer homem que não deixe o passado para trás não tratará você com responsabilidade.

5. O viciado. Homens de igreja que têm vícios com álcool ou drogas aprendem a esconder seus problemas – mas você não quer esperar até sua lua-de-mel para descobrir que ele é um bebum. Nunca se case com um homem que se recusa a pedir ajuda por seu vício. Insista que ele consiga ajuda profissional e afaste-se. E não entre em um relacionamento codependente em que ele afirma que precisa de você para ficar sóbrio. Você não pode consertá-lo.

6. O vagal. Eu tenho uma amiga que percebeu depois de casar-se com o namorado que ele não tinha planos de arrumar um emprego fixo. Ele tinha elaborado uma ótima estratégia: ele ficaria em casa o dia todo e jogaria videogame, enquanto sua esposa trabalhadora labutava e pagava todas as contas. O apóstolo Paulo disse aos tessalonicenses: “Se alguém não quiser trabalhar, não coma também.” (2 Ts 3.10) A mesma regra aplica-se aqui: se um homem não quer trabalhar, não merece casar com você.

7. O narcisista. Eu sinceramente espero que você encontre um rapaz que é bonito. Mas, seja cuidadosa: se seu namorado gasta seis horas por dia na academia e regularmente posta fotos de seus bíceps no Facebook, você tem um problema. Não se apaixone por um cara egocêntrico.  Ele pode ser bonito, mas um homem que está apaixonado pela aparência e por suas próprias necessidades jamais conseguirá te amar sacrificialmente, como Cristo ama a igreja (Ef 5.25). O homem que está sempre se olhando no espelho nunca perceberá você.

8. O abusador. Homens com tendências abusivas não conseguem controlar sua raiva quando a situação esquenta. Se o rapaz que você namora tem a tendência de perder as estribeiras, seja com você ou com outros, não fique tentada a racionalizar seu comportamento. Ele tem um problema e, se você se casar com ela, terá de navegar por esse campo minado todos os dias evitando desencadear outra explosão. Homens irritados machucam mulheres – verbal e, às vezes, fisicamente. Procure um homem que seja gentil.

9. O crianção. Pode chamar-me de antiquado, mas eu suspeito de alguém de 35 anos que vive com seus pais. Se sua mãe ainda está fazendo a comida, a limpeza e passando as roupas dele, pode ter certeza de que ele está parado no tempo. Você está pedindo por problemas se acha que pode ser esposa de um cara que não cresceu. Recue e, como amiga, encoraje-o a encontrar um mentor que possa ajudá-lo a amadurecer.

10. O controlador. Alguns cristãos pensam que casamento se trata de superioridade masculina. Eles podem citar a Escritura e soar super-espirituais, mas, por trás da fachada de autoridade há profunda insegurança e orgulho que pode transformar-se em abuso espiritual. Primeira Pedro 3.7 manda que os maridos tratem suas esposas como semelhantes. Se o homem com quem você namora te rebaixa, faz comentários degradantes sobre mulheres ou parece esmagar seus dons espirituais, recue agora. O poder lhe subiu à cabeça. Mulheres que casam controladores religiosos frequentemente terminam em um pesadelo de depressão.

Se você é uma mulher de Deus, não venda sua primogenitura espiritual casando-se com um rapaz que não merece você. A melhor decisão que você pode tomar na vida é esperar por um homem que se entregou a Jesus.

Fonte: Bereianos
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...