sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Que o Senhor te Abençoe nesse Ano Novo: Feliz 2011!

"Mas a terra que passais a possuir éterra de montes e de vales: da chuva dos céusbeberão as águas; terra de que cuida o Senhor vosso Deus:os olhos do Senhor vosso Deus estão sobre ela continuamente,desde o princípio até o fim do ano."(Deuteronômio 11.11,12).

Estamos hoje, às portas do desconhecido. Diante de nós estende-se o ano novo; vamos conquistá-lo a cada dia. Quem poderá dizer o que teremos pela frente? Que mudanças virão, que novas experiências, que necessidades? Mas aqui está a mensagem de nosso Pai Celeste - mensagem de ânimo, de conforto, de contentamento: "...os olhos do Senhor vosso Deus estão sobre ela continuamente, desde o princípio até ao fim do ano."

Sim, do Senhor vem toda a nossa provisão. Nele encontramos a fonte que nunca seca; mananciais e ribeiros que jamais se estancarão. Em Cristo, ó ansioso, está a promessa cheia da graça que nos vem do Pai. E se Ele é a fonte das misericórdias, nunca nos faltará misericórdia. Nem calor, nem seca poderão pôr fim àquele rio, "cujas correntes alegram a cidade de Deus".

Medite:

1) "...as coisas antigas já passaram..." (2 Co 5.17): O medo de viver, na verdade, origina-se na culpa e no pecado. Só quem se livrou do fardo do passado pode entrar leve e despreocupadamente pelo portal de um novo ano. Jesus Cristo é grande o suficiente para nos perdoar todos os pecados. Basta que os confessemos a Ele.

2) "...eis que se fizeram novas..." (2 Co 5.17): Alguém disse certa vez: "Um dia pode ser uma pérola, e um século, nada." Aquele que entregou sua vida a Jesus ganha a eternidade para si; quem vive sem Jesus está perdendo tudo desde agora.

3) "Oh! Tomara que me abençoes..." (1 Cr 4.10): Quando o talentoso artista Michelangelo começou a maior obra de sua vida na Capela Sistina, pintou primeiro duas mãos que abençoavam. Ele sabia o que também nós temos de saber para um novo ano: "Tudo depende da bênção de Deus".

4) "O que eu faço não o sabes agora; compreendê-lo-ás depois" (Jo 13.7): Muitas coisas que acontecem nos parecem estranhas, muitos caminhos de Deus para conosco parecem ininteligíveis, mas na eternidade vamos entender o porquê, pois Deus jamais erra.

5) "...a vida que agora vivo na carne vivo-a na fé do Filho de Deus" (Gl 2.20b, Ed. Rev. e Corrigida): Para quem vive pela fé em Jesus, a fé de Jesus passa a se tornar efetiva: não existe fé maior do que essa. Viver com Jesus significa alcançar o alvo, pois Ele é o Autor e Consumador da fé (Hb 12.2).

6) "...faça-se a tua vontade..." (Mt 6.10b): Seguir ao Senhor com um coração íntegro e obedecer-Lhe traz bênção nunca imaginada e é o melhor pré-requisito para o sucesso espiritual. Dar finalmente o passo diante do qual vacilamos até agora nos faz felizes e nos conduz à liberdade.

7) "Sede vós semelhantes a homens que esperam pelo seu senhor" (Lc 12.36): William McDonald disse: "Não basta defender a verdade acerca de Sua vinda; essa verdade deve nos dominar". Os cristãos mais ativos e santificados são aqueles que contam com a volta de Jesus e que amam a Sua vinda. Por isso o pastor Wilhelm Busch recomendava: "Juntem-se aos crentes que esperam pela volta do Senhor".

Feliz 2011!! Que a bênção do Senhor te siga, te persiga nesse ano que se inicia, que a paz que excede todo entendimento entre em nossos corações, que a IGREJA, como corpo de Cristo se prepare, pois nesse ano ou até daqui a alguns instantes, o Senhor Jesus poderá vir nos arrebatar!

Deus abençoe a todos vocês que visitaram esse Blog, que comentaram, indicaram, discutiram, meu muito obrigado! Estamos planejando mudanças, muitas melhorias para esse ano, não percam!!

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

7 Coisas que não haverá no Céu


Na eternidade tudo será maravilhoso, se acabarão as lutas as provações, daqui apouco tudo isso irá acontecer na nossa vida, para aqueles que esperaram as promessas do Senhor.

1) No céu não haverá mar (Ap. 21.1)

O mar fala de inquietação, agitação tribulação, ventos e tempestades - se acabarão no céu.

2) No céu não haverá choro (Ap. 21.4)

O Deus dos abatidos e tristes, ele mesmo enxugará pessoalmente as nossas lágrimas, que serão transformadas em alegria (Sl 126.5) , bem aventurados os que choram pois eles serão consolados.

3) No céu não haverá dor (Ap. 21.4)

O ser humano sofre com dores, cansaços, dor no coração, na alma, e é afligido lá ele tirará todo fardo pesado toda opressão deste mundo de pecado que nos rodeia e os enfados da carne.

4) No céu não haverá tristeza (Ap. 21.4)

Tristeza é algo que destrói a alma e deixa abatido nosso coração, lá não seria possível ter a tristeza pois na presença do Rei dos Reis até a tristeza salta de alegria, pois será alegria no Espírito, a tristeza será transformada em uma alegria eterna.

5) No céu não haverá noite (Ap. 22.5)

A noite é período de trevas, Jesus mencionou sobre a noite, noite lembra o juízo de Deus sobre o rei Belsazar quando apareceu a mão misteriosa, noite lembra as trevas do mundo onde não pode mais trabalhar, noite lembra o choro (Sl 30.5), mas lá o Cordeiro de Deus iluminará a cidade para todo sempre.

6) No céu não haverá maldição (Ap. 22.3)

No Éden, o homem vivia em comunhão, após pecar a maldição entrou na terra e ela começou a produzir espinhos e abrolhos, gerada pela desobediência do homem quando pecou, mas no céu tudo será restaurado e a maldição do pecado, da terra será aniquilada (Gl 3.10) A maldição já foi destruída.

7) No céu não haverá morte (Ap. 21.4)

O último inimigo foi vencido ele ressuscitou e vive, morte onde está seu aguilhão onde está a tua vitória, a morte foi vencida eu e você viveremos com ele estaremos com ele, pois somos vencedores e lá no céu tudo será imortal, para toda eternidade.

Conclusão: Na vida futura tudo isto vai acontecer, se você vive por momentos difíceis vale a pena continuar pois estaremos indo para o céu e participando de todas as bênçãos de Cristo Jesus.

Fonte: Estudos Gospel, via Sabedoria do Alto

sábado, 25 de dezembro de 2010

E se Jesus tivesse nascido nos dias de Hoje? Assista

Uma mensagem, que na essência é a mesma, mas de forma diferente! Assista, divita-se e FELIZ NATAL!!

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Celebração de Natal

Tenho lido muitos artigos publicados na internet que são contrários à celebração natalina. Argumenta-se que o Natal seria uma festa pagã, travestida de celebração cristã. O dia 25 de dezembro era o dia do nascimento do deus Sol, Mitra. Com a adesão do imperador romano ao cristianismo, a data foi cristianizada, tornando-se a data oficial de comemoração do natal de Jesus.

Para alguns, tudo isso não passa de paganismo. Algumas igrejas sequer comemoram a data. Preferem celebrar as festas judaicas, em um claro retorno às raízes hebréias, e à prática da Lei Mosaica. Árvore de Natal tornou-se símbolo de idolatria; há quem diga até que sua silhueta lembra a imagem da Senhora Aparecida!

Ok! Antes de aderir a esse modismo, que tal ponderar um pouco? Tirando Jesus do Natal, o que sobra? Não estaria isso à serviço do funesto império das trevas? Como se não bastasse a figura do Papai Noel a usurpar o centro das atenções, os cristãos resolveram dessacralizar a data.

Natal deixa de ser o nascimento de Jesus, e passa a ser... mais uma festa pagã. O deus Sol agradece. Estamos devolvendo a ele, o que lhe foi tomado. Há projetos de lei nos Estados Unidos querendo acabar com o feriado de Natal, por acreditar que sua celebração fira a liberdade de culto, menosprezando outras tradições religiosas.

Muitos cristãos têm se manifestado lá em favor da manutenção do feriado natalino. Mas aqui, são os próprios cristãos que resolveram tomar a contra-mão, e se manifestarem contrários ao Natal. Em vez de cantatas, silêncio. Em vez de peças teatrais falando do nascimento do Salvador, vazio. Nada de presentes, nem Ceia Natalina, nem árvores...

Há, porém, uma contradição aqui. Os mesmos crentes que se recusam a celebrar o Natal, insistem em celebrar a passagem do Ano Novo. Ora, se formos coerentes em nosso raciocínio, devemos adotar o calendário judeu, e deixar pra comemorar o novo ano mais tarde. Devemos adotar o ano lunar, em vez do solar. Nosso calendário solar honra o deus Sol! E o que dizer dos meses do ano? Deveríamos riscar de nossas folhinhas os meses de Julho e Agosto, pois os mesmos foram criados para honrar imperadores romanos que se diziam deuses, Júlio e Augusto.
E o que dizer dos dias da semana que honram o panteão romano? Pelo menos em inglês e em espanhol. Parece que nosso idioma saiu ileso dessa.

Os mesmos crentes que se negam a celebrar o Natal, por achar que é fruto do sincretismo entre o cristianismo e o paganismo, vão para as praias festejar a entrada do Ano Novo, e montam tendas ao “Pai das Luzes”, para tentar evangelizar os espíritas que vão fazer suas oferendas aos Orixás.

Ora, se Paulo pôde enxergar em um espaço cúltico (altar) oferecido a uma divindade desconhecida, um lugar de adoração ao Deus cristão, por que não poderíamos enxergar em uma data pagã uma oportunidade de adorarmos a Deus, dando-Lhe graças por nos haver enviado Seu Filho Jesus?

Desde já, desejo a todos um Feliz Natal e um Surpreendente Ano Novo!

Em tempo: a árvore de natal foi inventada pelo grande reformador protestante Martinho Lutero. Ele escolheu o prinheiro por ser a única árvore capaz de resistir ao intenso frio do inverno Alemão, sem perder suas folhas. As bolas com que enfeitou a primeira árvore natalina representava, segundo ele, os frutos do Espírito na vida cristã.


Fonte: Hermes Fernandes

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Por que Deus Se esconde de Nós?


Quem nunca brincou de esconde-esconde quando criança? Não sei qual era o desafio maior, encontrar quem estava escondido depois de ter contado até cem, ou conseguir manter-se escondido por muito tempo. E quando queríamos ser achados? Propositadamente fazíamos algum barulho, ou deixávamos que nossa silhueta ficasse visível atrás da cortina fina da sala.

Na história da redenção quem primeiro se escondeu foi o homem no Éden ao perceber-se nu. “Onde estás?” bradava o Senhor. Não que Deus o tenha perdido de vista, mas ele quem se perdeu de si mesmo. Seus olhos foram abertos para discernir o bem e o mal, porém, vendados para a percepção da glória de Deus.

O Criador, porém, não desistiu de Sua criatura, e desde então, vem-Se revelando discreta e gradativamente através dos meios por Ele estabelecidos. Se quisermos saber como Deus Se revela, temos que investigar onde e como Ele Se oculta.

Mesmo depois de ter tido uma extraordinária experiência em que Deus Se revelou a ele, o profeta Isaías concluiu:

“Verdadeiramente tu és o Deus que te ocultas, o Deus de Israel, o Salvador” (Is. 45:15).

Ocultar-se do homem não foi apenas uma manifestação do Seu justo juízo, mas também de Sua misericórdia. O homem, em seu estado pecaminoso, não poderia fitar seus olhos no Eterno sem que sua vida fosse consumida (Êx.33:20).

Por amar Sua criatura, Deus não a entregou à própria sorte, mas manteve-se bem próximo dela, apesar de não ser percebido. A raça humana foi pega por uma sensação de abandono, ignorando por completo o paradeiro do seu Criador. Gosto muito de uma história dos índios Cherokee, aqui dos Estados Unidos, que nos ajuda a entender a relação entre Deus e a humanidade depois que nossa percepção foi afetada pelo pecado. A história relata um rito de iniciação do jovem na vida adulta.

O pai leva o filho para a floresta durante o final da tarde, venda-lhe os olhos e deixa-o sozinho. O filho se senta sozinho no topo de uma montanha toda a noite e não pode remover a venda até os raios do sol brilharem no dia seguinte. Ele não pode gritar por socorro para ninguém. Se ele passar a noite toda lá, será considerado um homem. Ele não pode contar a experiência aos outros meninos porque cada um deve tornar-se homem do seu próprio modo, enfrentando o medo do desconhecido. O menino está naturalmente amedrontado.


Ele pode ouvir toda espécie de barulho. Os animais selvagens podem, naturalmente, estar ao redor dele. Talvez alguns humanos possam feri-lo. Os insetos e cobras podem vir picá-lo. Ele pode estar com frio, fome e sede. O vento sopra a grama e a terra sacode os tocos, mas ele se senta estoicamente, nunca removendo a venda. Segundo os Cherokees, este é o único modo dele se tornar um homem.

Finalmente. Após a noite horrível, o sol aparece e a venda é removida. Ele então descobre seu pai sentado na montanha perto dele. Ele estava a noite inteira protegendo seu filho do perigo. Deus jamais desistiu da raça humana. Mesmo que tenha ficado em silêncio por muito tempo, Ele caminhou ao nosso lado, impedindo que fôssemos destruídos.

Há momentos de tamanho sofrimento, que nos recusamos a acreditar que Ele esteja ali ao nosso lado. Jó, o homem cuja paciência foi relatada nas Escrituras como sua principal virtude, não escapou deste sentimento de abandono. Veja o que ele diz:

“Ah! Se eu soubesse onde encontrá-lo! Então me chegaria ao seu tribunal (...) Mas se me adianto, ali não está; se torno para trás, não o percebo, se opera à esquerda, não o vejo; encobre-se à direita, e não o diviso. Mas ele conhece o meu caminho...” (Jó 23:3,8-10a).

Repare que as palavras de Jó são a antítese do que dissera Davi em seu conhecido Salmo 139. Enquanto Jó admite sua ignorância, e afirma não saber onde encontrá-lO, Davi toma o caminho oposto e diz não saber onde NÃO encontrar Deus.

“Tu me cercaste em volta; puseste sobre mim a tua mão (...) Para onde me irei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face? Se subir ao céu, tu aí estás; se fizer nas profundezas a minha cama, tu ali também estás. Se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar, ainda ali a tua mão me guiará e a tua destra me susterá” (Sl.139:5,7-10).


A mesma realidade examinada de dois pontos de vista antagônicos. “Onde encontrar Deus?” se opõe à verdadeira questão “Onde não encontrá-lO?” Jó é a representação da raça humana, com sua percepção espiritual fragmentada, comprometida pelo pecado. Deus não está ausente de Sua criação. O problema é que não logramos percebê-Lo, até que nos seja franqueado o Espírito de Deus, que nos aguça a percepção, revelando-nos o que estava oculto (1 Co.2:9-15).

Davi representa a raça humana com os olhos desvendados pela presença do Espírito Santo. É Ele quem nos sinaliza o Caminho, e nos mostra onde encontrar Deus. De repente, toda a realidade que nos circunda se vê tomada por Sua presença augusta e santa. Daí, o problema não é mais encontrá-Lo, e sim, como nos esconder d'Ele. Quanto a Jó, depois do inferno astral pelo que passou, teve uma tão profunda experiência com Deus, que pôde confessar: "Com os ouvidos eu ouvira falar de ti, mas agora te vêem os meus olhos" (Jó 42:5).

O astronauta russo Yury Gagarin, o primeiro homem a viajar pelo espaço sideral, disse zombateiramente que ao chegar lá, não viu Deus algum. Ele se declarava completamente ateu. Neil Armstrong e Buzz Aldrin, os primeiros astronautas a pousarem na lua, pouco depois que deixaram a espaçonave, sacaram uma Bíblia, um cálice de prata, pão e vinho. Ali na lua, seu primeiro ato foi celebrar a Ceia do Senhor. [COLSON, Chuck. Astronauts Who Found God.].

Armstrong deu testemunho de que tivera uma extraordinária experiência com Deus em solo lunar, fazendo com que deixasse de ser um cristão nominal, para ser um cristão fervoroso.


Blog do Teophilo

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Assembléia de Deus realizará culto de ação de graças pela eleição de Geraldo Alckmin


O futuro governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), participa no próximo dia 19 de dezembro, às 14 horas, de um Culto de Ação de Graças que acontece na Igreja Assembleia de Deus do Brás Sede, localizada na região central na capital paulista.

A cerimônia, inédita, está sendo preparada especialmente para agradecer a Deus pelas vitórias de Alckmin, do senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) e do deputado estadual pastor Dilmo dos Santos (PV), todos apoiados pelas igrejas evangélicas ligadas à AD Brás em todo o estado.

Segundo o pastor Samuel Ferreira, presidente da denominação em São Paulo, essa foi uma iniciativa do próprio governador, que desejou agradecer ao povo pelos votos recebidos – Alckmin teve mais de 11 milhões de votos, o que equivale a 50,63% do total de votos válidos – e a Deus, pela bênção de voltar a ocupar a cadeira de governador no Palácio dos Bandeirantes.

“Essa é a primeira vez que um governante recorre à igreja depois de eleito. A Assembleia de Deus do Brás tem o privilégio e honra de receber nosso governador, bem como todas as demais autoridades eleitas para que possamos orar pelo bom êxito de seus governos e mandatos”, disse o pastor Samuel, salientando que esse fato é inédito.

O encontro deve contar com a participação do atual governador, Alberto Goldman, de lideranças do PSDB e PV.

Ação de Graças

As igrejas evangélicas têm como prática agradecer por suas conquistas e vitórias, todas atribuídas a Deus. Para isso, realiza em ocasiões especiais, cultos denominados “Ações de Graças”. Trata-se de uma reunião diferenciada, com muita música e períodos de oração de agradecimento. O Culto de Ação de Graças com a presença do governador Alckmin e demais autoridades será dirigido pelo pastor Samuel Ferreira e terá o suporte de sua equipe pastoral, orquestra, coral e músicos da AD Brás.

Para quem quiser participar, o culto será no dia 19/12/2010, às 14:00 horas, na Avenida Celso Garcia, n° 560, Brás - São Paulo.

Fonte: AD Brás / Gospel+

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Assista Ludmila Ferber e Padre Fabio de Melo no Faustão


Pastora, compositora e cantora, e é respeitada por líderes cristãos não só do Brasil, Ludmila Ferber participou domingo, dia 12/12 do programa da TV Globo, Domingão do Faustão. O convite partiu da direção do programa, e abordou o tema “Tolerância Religiosa”. Para isso, a Produção convidou também o Padre Fábio de Mello, que participou do mesmo quadro, junto com a Pastora Ludmila.

Durante o programa, Fabio Melo responde a Faustão afirmando que ouve as músicas e admira a pastora, arrancando aplausos do público pela humildade em sua fala. Ludmila se mostrou bem tímida, podendo dar respostas mais completas e contundentes, porém se reservou em respostas mais curtas. Em algumas ocasiões, o padre completou as respostas de Ludmila, nas perguntas feitas pela platéia. No fim da participação, os dois cantaram juntos, a música Sonhos de Deus, de Ludmila Ferber. Confira os vídeos abaixo.


segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Cid Moreira: Enquanto eu tiver a voz, só quero divulgar a Bíblia


“Jabulaaaaani” e “Ah, não, Mick Jagger” foram duas das vinhetas de maior sucessos nos programas da Copa do Mundo de 2010. Ambas, como tantas outras, foram imortalizadas pela voz grave e singular do jornalista e locutor Cid Moreira, que aos 83 anos, e 64 de carreira, foi responsável por momentos históricos do jornalismo à frente do Jornal Nacional durante 25 anos – marca registrada no Guinness Book. Sua importância não deve ser subestimada. Cid Moreira é tão importante para a história da televisão brasileira quanto Walter Cronkite (1916-2009), o lendário âncora da CBS, é para a americana. Independentemente do teor do noticiário, ele dizia sempre ao final do jornal o seu o seu incofundível “Boa Noite”. “Uma maneira de amenizar as notícias nem sempre agradáveis”, afirma.

Hoje, mais do que um homem de notícias, Cid é um homem a serviço de Deus. Seus CD’s narrando passagens bíblicas já venderam mais de 30 milhões de cópias por todo o Brasil, um sucesso incontestável do mercado fonográfico. Em dezembro, Cid lança seu primeiro DVD com imagem e voz de O Livro dos Salmos (Alpha Produção/ Bíblica Brasil) em sua nova versão internacional. Nos 12 volumes, Cid leva “as notícias de Deus”, como gosta de dizer, com direção de Marcelo Legey e trilha sonora do maestro José Lourenço.

Em entrevista a ÉPOCA ele conta como é o seu projeto bíblico, seus planos para o futuro, que não incluem a aposentadoria, e mostra seu lado cristão e bem humorado.

ÉPOCA – Quando o senhor descobriu que podia ser locutor?

Cid Moreira
– Poxa, vida! Você está fazendo uma pergunta que remonta ao século passado. Eu comecei com 17 anos em Taubaté, no interior, pertinho de São Paulo. Quando eu saí da Difusora de Taubaté, fui para a Bandeirantes de São Paulo, onde fiquei dois anos. Na época, eu trabalhava com o Dias Gomes, e ele era muito brincalhão e costumava brincar comigo no palco dizendo que na minha terra pintinho não faz ‘piu piu piu’, faz ‘PIURGH PIURGH PIURGH” [Cid Moreira diz um “piu piu piu” grave, com sua marcante voz].

ÉPOCA – Como o senhor cuida da voz? Toma algumas precauções?

Cid Moreira – Já me preocupei muito com a voz. Mas agora, sem demagogia, depois que eu comecei a estudar a Bíblia e me dedicar à sua divulgação, a minha saúde melhorou, a voz melhorou. Hoje eu considero que a minha voz está melhor do que na época que eu estava começando, porque eu era muito inseguro. E hoje eu tenho o máximo de segurança no trabalho.

ÉPOCA – O senhor é um católico praticante?

Cid Moreira – Eu comecei como católico em Taubaté e hoje eu tento, aliás digo por aí que sou “cristão”. E é difícil ser cristão, é um exercício diário. Tem muita gente que afirma ser cristão, mas é muito difícil porque você pode passar por momentos de ostentação, de raiva, e isso é anticristão. É algo que exige de você a todo momento.

ÉPOCA – Suas narrações das passagens bíblicas em CD já venderam mais de 30 milhões de cópias e agora temos o DVD com o Livro dos Salmos. Depois que terminar a Bíblia, o senhor pretende fazer a narração de outros livros religiosos como a Torá, o Corão ou Livro dos Espíritos de Alan Kardec?

Cid Moreira – Não nunca cogitei, se eu estou dizendo que sou cristão, preciso manter uma linha. Olha, quando eu estava fazendo 25 anos no Jornal Nacional – no qual eu sou Guiness Book, pois por enquanto eu sou recordista – eu gravei um clipe tendo como cenário o Dedo de Deus no Rio de Janeiro, narrando o Sermão da Montanha. A partir daquele momento, eu jurei, ali, que pretendia levar a todos os lares do país, até o último dia da minha vida, a mensagem dos envagelhos [sic], que são as notícias de Deus.

ÉPOCA – As vinhetas como ” O que é isso Mister M?” e as mais recentes “Jabulani” e “Ah, não, Mick Jagger” se tornaram sucessos na televisão e na internet , o que mostra também seu lado bem humorado. Como vê isso hoje e como lida com as imitações dos fãs?

Cid Moreira – Mas é desse lado bem-humorado de que eu gosto. Os fãs pedem para fotografar e é normal já chegarem imitando. No começo da minha carreira na Mayrink Veiga, que se projetava no humorismo, trabalhei inclusive com muitos comediantes que estão aí até hoje. Essa minha fase no rádio foi maravilhosa. E eu também tenho Twitter. Sempre entro para bater um papinho.

ÉPOCA – Por falar em Twitter, o Galvão Bueno tem o movimento do “Cala a Boca, Galvão”, como o senhor reagiria se fosse com você?

Cid Moreira – Se você também botar meu nome na internet, você vai ter uma boa noção das críticas. Tem gente que fala bem, a maioria graças a Deus, mas tem aqueles que não gostam.

ÉPOCA – O senhor já não narra mais reportagens, mas tem contrato com a Rede Globo. Numa entrevista ao Diário de S. Paulo, o senhor disse que estava no ‘spa da Globo’.

Cid Moreira – Acabei de renovar meu contrato por mais três anos, mas em qualquer profissão depois dos 70 anos o sujeito para de trabalhar. Agora não narro mais nada para a Globo, só dou entrevista, descanso e jogo tênis. Se eu pudesse jogava todos os dias… neste ano mesmo, me convidaram para jogar tênis no U.S Open em setembro e joguei uma partida de duplas contra o campeão Pat Cash (Patrick Hart Cash).

ÉPOCA – O senhor tem 83 anos, 64 de carreira, sua voz é um clássico do telejornalismo brasileiro, mas não pretende mesmo parar um dia?

Cid Moreira – Mas eu gosto de trabalhar e agora trabalhar para o chefe supremo é o melhor de tudo. Eu fiz um juramento: enquanto eu tiver a voz, só quero divulgar a Bíblia. Só quero fazer isso, mais nada. Agora eu estou gravando a Bíblia inteira que vai ser distribuída com legendas, para todo o mundo cristão. E você é muito novo, ainda vai ver que a vida é feita de fases.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Ana Paula Valadão lidera indicações para cantar na abertura da Copa de 2014


A seguinte enquete publicada num portal de notícias: ‘Quem deve cantar na abertura da Copa do Mundo de 2014’. Concorrendo estão os maiores artistas do Brasil, numa lista que ultrapassa a casa dos 70 nomes em diversos estilos. Mas o que conta mesmo é quem está no topo. A cantora Ana Paula Valadão já ultrapassa a marca dos 2 milhões de votos e assume a liderança absoluta na votação.

Para se ter uma idéia da tal disputa, Ana Paula Valadão está a frente de artistas como Ivete Sangalo, Exaltasamba e Claudia Leitte. A líder do Ministério de louvor Diante do Trono disparou em pouco mais de dois dias no ranking. Não se sabe até quando vai durar a enquete, nem se seu resultado influenciará na escolha real do artista que comandará a festa de abertura. O que se nota, porém, é a imensa popularidade e reconhecimento atingidos pela música cristã e artistas como Ana Paula, que tem buscado e conseguido maior abertura de espaço a este estilo musical nas emissores de TV.

Outros cantores evangélicos também disputam a enquete. Dentre os melhores colocados estão Mariana Valadão (5º), Nívea Soares (8º) e Oficina G3 (9º).

Fonte: O Verbo

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Kaká e esposa saem da Igreja Renascer


Famoso pela devoção à Igreja Renascer em Cristo, do casal Sonia e Estevam Hernandes, o jogador Kaká e a sua mulher, Caroline Celico, romperam com a instituição. A informação está publicada na edição deste final de semana da revista "Veja", sob o título "Vida nova para Carol e Kaká".

De acordo com a publicação, eles se afastaram no último mês de agosto. "O meu tempo na Igreja Renascer acabou. E o que posso afirmar é que hoje minha busca constante é somente por Deus", disse Carol à revista. Sobre motivos, ela preferiu não se pronunciar: "Não vou fazer nenhum comentário. Cada um tem o seu ponto de vista sobre inúmeros assuntos".

A própria igreja confirmou que na quinta-feira o jogador telefonou para Hernandes e confirmou que saía "por motivos pessoais". Procurado pela Folha, o meio-campista do Real Madrid não foi encontrado para comentar o assunto.

O projeto inicial da nova sede da Renascer, que será construída no Cambuci (região central de SP), tem custo estimado em R$ 10 milhões. Esse valor, no entanto, pode aumentar, dependendo do tipo de acabamento e decoração que a igreja decidir. Procurada, a Renascer se recusou a comentar o valor da obra, obtido com exclusividade pela Folha Online.

O pagamento da nova sede, no mesmo local em que desabou a antiga no dia 18 de janeiro, acidente que deixou sete mortos e mais de 100 feridos, será feito com a doação de fiéis. O lançamento da pedra fundamental do novo templo ocorreu ontem em São Paulo, com a presença do jogador Kaká, do Real Madrid. Kaká ficou o tempo todo ao lado dos líderes Estevam e Sônia Hernandes, com quem orou de mãos dadas.

Igreja confirma rompimento

Segundo o UOL Notícias, a Igreja confirmou neste sábado o desligamento do casal, mas não revelou o motivo. Na última sexta-feira, os dois receberam a última bênção como fiéis. De acordo com a assessoria de imprensa da Renascer, o jogador do Real Madrid continua amigo do casal fundador Estevam e Sonia Hernandes. Em outubro, a coluna Zapping já trazia a informação de que os dois se distanciaram da Igreja e estariam prestes a sair por descontentamento com a administração.

De acordo com a publicação, eles se afastaram no último mês de agosto. "O meu tempo na Igreja Renascer acabou. E o que posso afirmar é que hoje minha busca constante é somente por Deus", disse Carol à revista.

Horas depois da resposta da assessoria, Carol Celico utilizou seu perfil no Twitter para expressar suas novas convicções religiosas: “Como é bom não pertencer a homens, não pertencer a denominações, mas pertencer somente a Jesus! Eu sou Dele, e você?”.

A mensagem de Carol Celico foi amplamente republicada no Twitter, mas horas depois a cantora apagou esta e todas as outras mensagens relacionadas ao tema. Abaixo você confere uma imagem das mensagens de Carol antes de serem apagadas:



Fonte: Gospel+, Uol Notícias

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Regras e Etiquetas: Como se comportar durante o Culto a Deus


Atrasos, conversas paralelas, movimentação, telefones tocando, crianças chorando, música alta. Tais situações formam um ambiente caótico, desorganizado e desconfortável. Mas, essa acaba sendo a realidade de grande parte das igrejas no Brasil. Ciente dessa verdade, a consultora de etiqueta e co-autora do livro ’Não Fale de Boca Cheia’, Albertina Costa Ruiz, fala, em entrevista ao CREIO, sobre a parcela de culpa dos pastores e líderes na inquietação dos membros e como deve ser o comportamento durante os cultos.

Há quatro anos trabalhando com o Instituto Doblinski, Albertina ajuda empresas e funcionários a se portar no ambiente de trabalho. Membro da Igreja Pentecostal da Bíblia no Brasil, em São Paulo, ela também auxilia no comportamento dentro do ambiente das igrejas. O livro ‘Não Fale de Boca Cheia’, escrito em parceria com Suzana Doblinski, é um manual de comportamento voltado ao público infantil, mas indicado para todas as idades.

Para a escritora, o espaço do templo exige boa conduta, principalmente por ser onde várias pessoas se reúnem. “Sendo a igreja o local onde se promove a comunhão do ministério, é importante o comportamento dos membros ter como base regras de boas maneiras, o que significa gentileza para com os demais, resultando num ambiente harmonizado e, sobretudo, sereno, onde a reverência possa ser alcançada”, afirma.

A consciência deve estar no quanto certas atitudes podem atrapalhar os presentes e também o andamento da reunião. Tudo que chama e tira a atenção não deve fazer parte da rotina da congregação. Às vezes, a ausência de estrutura e de orientação pastoral é a realidade, e não a falta de educação dos membros. Por isso, os pastores e líderes devem procurar impor regras comportamentais e disponibilizar espaços a fim de facilitar o convívio e permanência de suas ovelhas nos ambientes de culto.

O excesso de apresentações litúrgicas, os cultos demasiadamente longos e as apresentações musicais com som muito alto também podem provocar cansaço e desatenção no público presente. “São itens que colaboram para os participantes serem levados a um procedimento irrequieto”, acrescenta Albertina.

Ela ainda destaca as dicas do apóstolo Paulo quando ele dá instrução quanto ao comportamento adequado. “Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gregos, nem à Igreja de Deus. Como também eu em tudo agrado a todos, não buscando o meu próprio proveito, mas o de muitos, para que assim se possam salvar.” (1 Coríntios 10 : 32 e 33)

“Não podemos esquecer que os costumes da igreja devem servir de exemplo para o mundo, e não os costumes do mundo serem permitidos na igreja”, finaliza.


Fonte: Gospel+

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Criança afirma ter ido ao céu, falado com Jesus e João Batista

Nos últimos dias tem se debatido muito, nos Estados Unidos, a história de Colton Burpo. Quando este filho de um pastor metodista do Nebraska tinha quatro anos (em 2003), teve uma apendicite que foi diagnosticada errada. Assim que os médicos descobriram o que havia ocorrido, ele foi submetido a uma operação de emergência. Ele não resistiu, disseram os médicos, e ele foi dado como morto.

Deitado na cama de um hospital, o menino narra que pode ver sua alma subindo até o céu. Ele descreve que viu e ouviu o que seu pai orava e o que sua mãe fazia nos corredores do hospital. Chegando ao céu, encontrou seu bisavô e conversou com a irmã mais velha que nunca conheceu, pois sua mãe teve um aborto espontâneo, assuntos que ele desconhecia até então.

Ele narra que viu e conversou com Jesus, que andava em um cavalo que somente ele podia montar. Descreveu ainda uma visão de Deus “muito grande”, sentado em uma cadeira muito alta. Depois de algum tempo no céu, tendo visões que se assemelham em muitos aspectos ao que diz o livro de Apocalipse e conversar com personagens bíblicos como João Batista, o menino voltou à Terra.

Ele reviveu e relatou tudo que experimentou ao pai, Todd, que decidiu registrar em um livro chamado “Heaven is for real” [O Céu é de verdade], lançado pela Thomas Nelson. O livro tem o prefácio de Don Piper, que também escreveu uma obra narrando como foi sua experiência no céu e que endossa o testemunho de Colton.

Este não é o primeiro livro escrito por pessoas que alegam ter visitado o céu. O que chama atenção é o fato de ser narrado por uma criança de quatro anos de idade. Segundo seu pai, muitas das coisas que ele narra não seriam possíveis para ele conhecer. Desde a história da perda da irmã no ventre materno até detalhes sobre a visão celestial que corroboram com a narrativa do apóstolo João no livro de Apocalipse.

No início desta semana o menino e o pai foram entrevistado pela rede americana Fox, no programa Fox & Friends (assista o vídeo). O que era para ser uma simples promoção de seu livro (qua acaba de ser lançado) se transformou quase imediatamente em uma controvérsia nacional. Centenas de sites e blogs reproduziram a entrevista, muitos elogiaram a emissora enquanto um outro grupo fazia pesadas críticas ao que consideram uma tentativa da direita cristã de impor sua agenda e usar o menino para isso. OS detalhes fornecidos pelo jovem Burpo de que todos são jovens no céu e que os olhos de Jesus são azuis criaram controvérsia também no meio religioso. O livro já tinha passado das 100.000 cópias vendidas antes de toda essa exposição de mídia e agora certamente irá ter uma procura ainda maior.

Fonte: Gospel+

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Por que há filhos de crentes no tráfico de drogas?


Por que há filhos de crentes no meio da bandidagem e no tráfico de drogas? Aí está uma pergunta de resposta aparentemente fácil. Quem é que ainda não ouviu isso: "a maioria dos nomes dos presidiários brasileiros são nomes bíblicos. Afinal por que isso acontece? Será por falta de cuidados? tempo excessivo gasto na Igreja e negligência no cuidado dos pequenos? A primeira vista pode parecer um assunto de fácil dedução, mas eu descobri que não.

Uma das ilações mais ouvidas é: "a culpa é das mães dessas crianças que ficam orando em demasia dentro das Igrejas, enquanto seus filhos estão com más companhias do lado de fora. Excesso de oração e falta de acompanhamento do que eles fazem. Será?

Dona Nilza Maria é mãe de Diego Raimundo da Silva Santos - o braço direito do chefe de tráfico das favelas do Complexo do Alemão, o Luciano Pezão. Foi ela, uma senhora evangélica que junto com o filho pastor e alguns amigos crentes, convenceram o jovem a se entregar ao delegado do 6º DP., Dr. Luiz Alberto Cunha de Andrade.

O eletricista Ivanildo Dias Trindade, evangélico de 55 anos, também seguiu o exemplo de Dona Nilza e levou o filho Carlos Augusto, o Pingo, a se entregar à Polícia carioca. Também há uns dois anos, o padrasto daquele garoto que roubou o carro de uma senhora e arrastou o filhinho dela preso na porta do carro por alguns quilômetros - também era evangélico. Não há, portanto, nenhum segredo em dizer que há mesmo muitos filhos de crentes envolvidos na vida criminosa.

Para os que tenta explicar de uma maneira fácil esta questão, vamos ao seguinte fato: Deus criou o primeiro Casal: Adão e Eva, e eles geraram Caim e Abel. Caim foi o primeiro criminoso sobre a terra, segundo o que se lê nas Sagradas Escrituras. Onde foi que Adão e Eva erraram? Eles oravam demais? Iam a Igreja? Não tinham tempo para conversar com os filhos? Eram pessoas muito ocupadas? Para todas estas perguntas, eu creio que as respostas sejam a mesma: não!

Esaú o filho gêmeo de Isaque e Rebeca planejou a morte do irmão que lhe passou a perna no caso da bênção da primogenitura. O resultado foi que jurou de morte o irmão esperto: Jacob. Só não chegou a matá-lo, porque Deus interveio.

José, o primeiro filho de Jacob com Raquel, sofreu muito na mão dos irmãos. Foi amarrado, jogado num poço, vendido como escravo, acusado injustamente por uma mulher adúltera, preso, esquecido na prisão - e apesar de tudo isto, não se tornou um criminoso.

O Rei Davi, o homem que tinha um coração segundo Deus, foi o maior Rei sobre a nação de Israel. Um de seus filhos praticou um incesto com a irmã, outro filho vingou o incesto matando o irmão, e mais tarde se voltou contra o pai e tentou matá-lo, seguindo conselhos malignos.

O que estes fatos têm em comum? a contaminação da raça humana pelo pecado. Ele espreita bem de perto, principalmente as famílias dos crentes, para destruir, envergonhar, escandalizar e manchar de vergonha qualquer família cristã. Contra isso, só orações, jejum e muita conversa ao pé do ouvido com os filhos.

Não quero dizer com isso que a maioria dos casos de bandidagem entre os filhos de crentes está a falta de coragem dos pais em confrontar os filhos, fingindo que eles são bons meninos. Conheci um grande pastor perdeu três filhos assassinados. Todos eles envolvidos de alguma forma com más companhias. Estar atento ao que acontece com os filhos é o grande dever dos pais. Conheço também um caso bem sucedido. Pai e mãe cristãos trabalhavam de segunda à sábado. Os filhos ficavam com a avó e também na rua perambulando com outras crianças. Quando o pai descobriu que o filho de 04 anos pegava o ônibus do bairro para ir roubar brinquedos no Largo 13 de Maio, em São Paulo - ficou horrorizado. Tratou de mudar da capital para um lugar bem longe destas companhias. Sua drástica atitude evitou que aquela criança se tornasse um criminoso mais tarde.

Por que há filhos de pais crentes que envolvidos no tráfico de drogas e na bandidagem? Explicações são várias, e nenhuma delas seria suficiente para explicar de fato. Há um fator no Brasil que não é intrínseco aos pais que traz grande dor de cabeça: nenhum adolescente pode trabalhar antes dos 16 e 18 anos. Eu pergunto: é fácil para um jovem de 18 anos aprender a trabalhar já quase adulto? É corretíssima a Lei que dispõe sobre a obrigação dos pais matricularem seus filhos na escola e mantê-los apenas estudando até os 18 anos. Por acaso os criminosos respeitam esta lei? Não, não respeitam. Eles exploram as necessidades destes adolescentes, geralmente sem dinheiro algum no bolso, para conduzi-los ao mau passo. O governo não deixa, mas há emprego garantido no tráfico para os filhos dos mais pobres.

A conclusão que chego é que, em alguns casos, a falha está na falta de amor dos próprios pais, que pensam que amar é somente passar a mão na cabeça dos filhos e fingir que não veem e não confrontam seus malfeitos. Em outros casos, há pais de conduta irrepreensível que possuem filhos criminosos. Uma atitude eu não posso negar: Deus confrontou Caim; Os irmãos de José foram confrontados com suas próprias consciências quando estiveram em apuros no Egito; Deus impediu o intento criminoso de Esaú quanto à Jacob. Davi só não perdeu a família toda para o diabo, porque se arrependeu e era um homem de oração. E por fim há um caso de grande exemplo na Bíblia para os pais que estão passando pela angústia de ter filhos criminosos: é o exemplo do Pai do filho pródigo. Se ele não fosse um pai amoroso nem tivesse um coração perdoador, seu filho caçula teria sido mal recebido e teria feito meia volta e fatalmente seria um criminoso.

Sempre houve e sempre haverá criminosos no meio de famílias decentes e honradas, como também no meio de famílias de cultura criminosa pode ter filhos que são corretos e trabalhadores. O que não pode acontecer é negar o perdão e um abraço amoroso para quem deseja recomeçar, nem deixar o filho morrer no crime sem confrontá-lo e aconselhá-lo a acertar as contas com a justiça. É uma situação muito difícil, que somente a misericórdia de Deus pode ajudar. O que não pode se esquecido é que os filhos são herança de Deus aos pais e que esta herança pode ser um suplício por uma falha de atitude dos pais: ou falta de oração, ou falta de encaminhar seus pequenos para a Casa de Deus, ou falta de amor por não corrigil-os antes que o diabo os leve à destruição. Que Deus nos guarde e aos nossos filhos também.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

A glória de perder e a tragédia de ganhar


Quantos sejam os anos da vida de um ser humano, ela sempre se caracteriza por uma sucessão de ganhos e perdas.Jesus estabeleceu princípios estranhos, porém sólidos e verdadeiros ao deixar claro que para ganhar é preciso perder.

Muitos vivem preocupados o tempo todo com a falsa glória de perder peso e a penosa tragédia de ganhar fama. A perda de peso é falsa porque nada acrescenta ao caráter. O lucro da fama pode ser uma tragédia pelos inimigos que conquista e pelo mau uso das benesses por ela adquiridas.

Ganhar a salvação quase sempre significa perder amigos, mas estes são efêmeros enquanto aquela é eterna.Quando Cristo nos ganhou, o Diabo nos perdeu. Moisés perdeu o fausto do trono do Egito, mas ganhou a glória da comunhão com Deus no monte.

Abraão perdeu a estabilidade de Ur dos Caldeus, mas ganhou o status de peregrino de Adonai. Em Ur, vivia em esterilidade. Como peregrino, tornou-se pai de uma multidão de nações.

Muitos perdem a honra quando ganham muito dinheiro. Outros ganham reputação, quando perdem o temor de ser honrados.Muitos perdem o tempo que não sabem aproveitar e ganham o prêmio da inatividade.

Outros ganham o troféu de laboriosos, enquanto perdem o amor pela inércia. Abrão perdeu o nome de mais alto, para ganhar o de mais amado. É melhor ser amado em baixo, que desprezado em cima.

Jacó perdeu o direito de andar totalmente ereto entre os homens, mas ganhou o privilégio de um novo nome, que o declarava príncipe de Deus. É melhor ter o defeito de Jacó que a beleza de Absalão.

Daniel perdeu o prazer de ricos banquetes, mas ganhou a bênção de interpretar sonhos do rei. José perdeu a emoção de uma aventura rápida com a mulher de Potifar para ganhar a designação de Primeiro-Ministro da nação mais poderosa de seu tempo.

Esaú perdeu o respeito pela primogenitura para ganhar o título de leviano e fornicário. João Batista considerou uma glória perder a cabeça física, para poder ganhar a aprovação da Cabeça Espiritual.

Ananias quis ganhar algumas cédulas que enriqueceriam seu patrimônio, mas perdeu a própria vida, sob o juízo de Deus. Alguns perdem o respeito para ganhar posições. Outros perdem posições para ganhar o respeito.Existem os que choram quando ganham, pois sabem que a vitória era de outros e os que se alegram quando perdem, pois perderam o que não deviam possuir.

Na contabilidade espiritual de Paulo, perder posições humanas era uma glória, enquanto ganhar almas era um privilégio. Caro leitor, como estás no ganha-e-perde da vida? Bem-aventurados os que se desvencilharam de tudo que ganharam erradamente. Mais bem-aventurados ainda os que conseguiram recuperar tudo aquilo que jamais deveriam ter perdido.

O filho pródigo, longe de casa, experimentou a tragédia de ganhar amigos. Só quando vivenciou a glória de os perder, se sentiu realmente feliz.O irmão do filho pródigo perdeu a alegria quando o viu ganhar a reconciliação. Para aqueles que choram as muitas perdas de ontem, recordamos que elas serão superadas e esquecidas pelas vitórias de amanhã.

O cego de Jericó viveu a glória de “perder” sua capa, para não sentir a tragédia de ganhar a morte estando ainda cego.Ganhar é uma tragédia quando está em jogo aquilo que não se deveria possuir. Perder é uma glória quando se trata daquilo que jamais se deveria obter.

Quando Jesus quis declarar que a tragédia de ganhar o mundo só pode ser evitada pelo desprezo à glória de ganhar o que ele oferece, Ele propôs uma questão, que nunca pode ser esquecida: “De que aproveitaria ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma”?

Autor: Pr. Geziel Gomes

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Como reconhecer um Homem de Deus?


O que é um homem de Deus? Como podemos conhecê-lo? Quais são as suas marcas?

Em primeiro lugar, o homem de Deus não é conhecido por realizar milagres extraordinários. Jesus advertiu claramente que muitos naquele dirão: “Senhor, não temos profetizado em teu nome, no teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres”? Então, Jesus dirá: Apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade (Mt 7.22,23). O que dizer de João, o Batista que não fez nenhum milagre, mas tudo o que ele disse era verdade (Jo 10.41). Será que tudo que falamos é a verdade?

Em segundo lugar, o homem de Deus não é conhecido pela sua erudição. Muitos pensam que, por terem uma excelente oratória capaz de arrebatar as multidões, faz dele um homem de Deus. Lembre-se que o Anticristo será um orador inigualável.

Em terceiro lugar, o homem de Deus não é conhecido pela sua riqueza, fama e prestígio. Não, não. Paremos com esta falácia! O homem de Deus não é conhecido pelo seu carro importado, por seu anel de ouro, por sua magnífica casa. É tempo de discernimento. Pergunto aos nobres leitores: O que Jesus deixou ao partir deste mundo? O que Paulo deixou quando decapitado por Nero? Deixaram casas, riquezas, bens? Oh não senhores. Pelo contrário morreram pobres! Todavia até hoje falamos em seus nomes. Jesus, o Rei dos Reis, nosso Senhor e Salvador. Paulo nos legou 13 cartas que hoje são lidas, estudadas em todos os cantos do mundo.

O apóstolo Paulo, em sua primeira carta a Timóteo 6.11-16 nos mostra quatro marcas de um homem de Deus. O homem de Deus é conhecido por aquilo de que ele foge, segue, combate e guarda. Vamos dissecar estes quatro verbos.

1) O homem de Deus é conhecido por aquilo de que ele foge (I Tm 6.11)

Paulo diz: “Mas tu, ó homem de Deus, foge dessas coisas….”. De que coisas um homem de Deus deve fugir? Deve fugir da fama, das calúnias, das contendas e brigas que não levam a nada, da aparência do mal, das suspeitas maliciosas e, sobretudo, da ganância, ou seja, do amor ao dinheiro, que é a raiz de todos os males (I Tm 6.3-10). Quantos homens de Deus que profissionalizaram seu ministério? Começaram bem e, infelizmente estão terminado mal. Um homem de Deus não é apegado às coisas materiais. Ele não ama o dinheiro, mas o Senhor. Ele busca uma vida santa e sabe que a piedade, com contentamento, é grande fonte de lucro. Muitos homens e mulheres são escravos de Mamon. Prostram-se diante desse ídolo e naufragam no ministério. Alguém já disse: “Aquele que serve a Deus por dinheiro, servirá ao Diabo por salário melhor”.

2) O homem de Deus é conhecido por aquilo que ele segue (I Tm 6.11)

O apóstolo continua: “…. segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a constância e a mansidão”. Um homem de Deus foge do pecado e segue a virtude. Sabe qual foi a pressa de José? Não foi ver seus sonhos realizados. Não. Foi fugir da mulher de Potifar! Ele foge da injustiça, mas busca o que é justo mais que o ouro e a prata. Ele foge da vida promíscua e impura e segue a piedade. Seu prazer não está no dinheiro, mas em Deus. Ele foge da incredulidade e segue a fé. Deleita-se na Palavra. Ele foge do estilo de vida inconstante daqueles que correm atrás do vento e segue a constância. Foge do destempero emocional e segue a mansidão.

3) O homem de Deus é conhecido por aquilo que ele combate (I Tm 6.12)

O apóstolo ainda escreve: “combate o bom combate da fé. Toma posse da vida eterna”. O que estamos combatendo? Alguns ministros estão se digladiando e tentando derrubar o próximo. Vejam estas reuniões de obreiros. É um querendo “puxar o tapete” do outro. A quem estamos combatendo? Será que nunca lemos, que a nossa guerra não é contra carne e sangue? (Ef 6.12). Por que
tanta disputa por cargos e mais cargos que não levam a nada? Onde está a urgência da evangelização? Por que não combatemos as mais diversas heresias que percorrem em nossas igrejas?

O ministério não é uma colônia de férias, é um campo de batalhas. Neste combate não há soldado na reserva. Todos devem combater! Timóteo deveria entender que o ministério cristão é uma luta sem trégua e sem pausa contra o erro e em prol da verdade. Ele deveria, como soldado de Cristo, engajar-se no combate certo, com a motivação certa. Há muitos obreiros que entram na luta errada, com as armas erradas e com a motivação errada. Timóteo não deveria brigar por causa de dinheiro, mas combater em defesa da fé verdadeira. Essa deve ser a nossa luta. O avanço do reino de Deus.

4) O homem de Deus é conhecido por aquilo que ele guarda (I Tm 6.14)

Finalmente, Paulo diz: “sem mácula e irrepreensível, guarda este mandamento até a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”. Muitos obreiros haviam se desviado no caminho, como Demas. Outros haviam se intoxicado pelo orgulho, como Diótrefes. Outros haviam sido seduzidos pelos falsos mestres. Outros se corromperam com a ganância pelo dinheiro. Todavia, o homem de Deus deve guardar o mandamento, a Palavra de Deus, vivendo de maneira irrepreensível até a volta do Senhor Jesus.

Um homem de Deus não negocia a verdade nem transige com seus absolutos. Um homem de Deus não se rende a tentação do lucro em nome da fé nem abastece seu coração com as ilusões de doutrinas estranhas às Escrituras. Um homem de Deus ama a Palavra, guarda a Palavra, vive a Palavra e prega a Palavra. Que o Deus Eterno levante homens de Deus com essas características; dispostos a fugir do pecado, a seguir a justiça, a combater o bom combate e a guardar a Palavra, vivendo uma vida exemplar e digna de ser imitada. Deus nos conceda essa graça. Amém!

Autor: Pr Marcello de Oliveira

Assista entrevista Ao Vivo de Lula com Blogueiros


O presidente Luis Inácio Lula da Silva está concedendo neste momento sua primeira entrevista somente para blogueiros. A conversa pode ser conferida no site especial do evento ou na base desta página.

Essa será a primeira entrevista do presidente somente para jornalistas que atuam no segmento online. Os usuários poderão enviar perguntas por meio do perfil do Blog do Planalto (@blogdoplanalto) no Twitter. Os comentários serão agregados por meio da hashtag #lulablogs.

Altamiro Borges (Blog do Miro), Altino Machado (Blog do Altino), Conceição Lemes (Viomundo), William (Cloaca News), Eduardo Guimarães (Cidadania), Leandro Fortes (Brasilia, Eu Vi), Pierre Lucena (Acerto de Contas), Renato Rovai (Blog do Rovai), Rodrigo Vianna (Escrevinhador) e Túlio Vianna (Blog do Túlio Vianna) participam do encontro.

A lista de convidados foi elaborada durante o 1º Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas, que aconteceu em São Paulo, em agosto.

Assista Ao Vivo

Devido ao grande número de acessos, o player demora um pouco para carregar, mas vale a pena aguardar um pouco e assistir ao vivo



Assista na ìntegra a entrevista

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Onde estão os Pregadores?


Onde estão os pregadores plenamente comprometidos com a essência do Evangelho de Cristo, capazes de ministrar o trigo da Palavra sem o joio das imaginações humanas, tão a gosto da modernidade homilética?

Onde estão os pregadores vestidos de simplicidade e revestidos de transparência, capazes de oferecer o testemunho de sua própria vida como pano de fundo para suas mensagens?

Onde estão os pregadores dispostos a abrir mão de aplausos e de gestos bajuladores, de conchavos e de barganhas que comprometem a seriedade da mensagem da Cruz e ofuscam o brilho da glória da Ressurreição do Santo Jesus?

Onde estão os pregadores que não se vendem por honrarias, não se trocam por homenagens extemporâneas e não se maculam com subvenções de origem obscura?

Onde estão os pregadores que rejeitam ser conduzidos por empresários de profetas, agenciadores de compromissos e mercadejadores de astros e estrelas?

Onde estão os pregadores que ainda se atrevem a pregar sobre os longos cravos, as grossas gotas de sangue e os momentos de agonia do Nazareno?

Onde estão os pregadores que ainda se arriscam a pregar o arrependimento e a confissão de pecados, a humildade e a renuncia, a santidade e o jejum?

Onde estão os pregadores que ministram sobre a Vinda de Cristo, não para serem admirados por sua memória, senão para serem tocados pela sua compaixão?

Onde estão os pregadores que tomam tempo aos pés do Amado, até que se sintam encorajados a dizer: “eu vos entreguei o que recebi do Senhor Jesus…”?

Onde estão os pregadores que não substituem Paulo por Flávio Josefo, Isaias por Sêneca e Jeremias por Victor Hugo?

Onde estão os pregadores que não estão obcecados por encantar o auditório com truques de oratória, visto que estão inundados pela unção plena do Avivamento real, que é capaz de levar quase três mil almas de uma só vez a um estado de quebrantamento real?

Onde estão os pregadores que ainda valorizam os apelos para salvação de vidas, ao invés de simplesmente fazerem delirar as multidões com promessas de carro zero e vida sem lutas e aflições?

Onde estão os pregadores que seguem o exemplo de Ezequiel, que somente foi e falou à casa de Israel depois que comeu o rolo por inteiro?

Onde estão os pregadores que não pretendem usar o púlpito para desabafos, preferindo sofrer a fazer sofrer, perder a fazer perder e morrer a fazer morrer?

Onde estão os pregadores que não foram atacados de amnésia, esquecendo por completo de pronunciar em suas mensagens as palavras pecado e arrependimento?

Onde estão os pregadores que não admitem ser o porta-voz do Mundo, visto já serem a boca de Deus, a voz do que clama no deserto?

Onde estão os pregadores revoltados com a idéia de que a igreja seja um circo, o culto seja um show e o pregador um artista (ou palhaço)?

Onde estão os pregadores que fogem do perigo de manter as massas analfabetas da Palavra, estimulando-as à leitura habitual e meditação constante do Livro de Deus?

Onde estão os pregadores que levam em consideração o conselho de Spurgeon: “ se Deus te chamou para pregar, não aspires ser o rei da Inglaterra”?

Onde estão os pregadores que se pautam pela palavra de I Co 2.7, segundo a qual “ falamos a sabedoria de Deus em mistério, a sabedoria oculta , a qual Deus ordenou antes dos séculos?

Onde estão os pregadores que se fazem fracos para ganhar os fracos, e não poderosos para ganhar os poderosos?

Onde estão os pregadores que dão ao povo comida sólida, ao invés de um divertido fast food?

Onde estão os pregadores que se negam a fazer do ministério uma rendosa profissão, a fim de não perderem a benção de serem sacerdotes e profetas do Senhor?

Onde estão os pregadores que pregam APENAS a Palavra, como foi recomendado por Paulo e não um evangelho social, soft, light, raso e sem compromisso?

Alegra a todos os fiéis filhos de Deus saber que esses pregadores existem, não são uma classe em extinção, não perderam sua identidade nem sua autenticidade. O único problema é descobrir onde eles estão: se na cova de Adulão, se embaixo de um zimbro, se à sombra de uma aboboreira, se junto ao rio Quebar. Não é tão fácil encontrá-los.

Mas que existem, existem.

Uns pensam que somente existe Elias. Mas Deus diz que são sete mil.

Autor: Pr Geziel Nunes Gomes, por Davar Elohim

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Apostasia na Igreja Quadrangular: Idolatria de Uma Arca no Culto. Assista


Não. O vídeo a seguir não foi produzido em uma igrejinha qualquer, destas sem vidro na janela onde o vento sopra uma doutrina nova a cada dia.

Não. As tristes imagens mostradas foram captadas por um membro entristecido com a franca apostasia que carrega a Igreja do Evangelho Quadrangular ladeira abaixo.

Nas unidades IEQ, tudo o que se tem mais visto é idolatria, esquisitices gospel e até esta doutrina comercial “sem pé ou cabeça” que mistura ícones do judaísmo do tempo do templo, com judaísmo dos séculos XIV e até do século XIX!

A Igreja do Evangelho Quadrangular está adotando um arremedo de doutrina que busca elementos de idolatria e pontos de contato da fé (este arcabouço nefasto e mentiroso adotado pelo paganismo, catolicismo e neopentecostalismo) misturado com uma doutrina “judaizante” que emite disparates como o uso de kipá, coisa do século XVII, que nenhum homem do tempo de Jesus jamais viu.

Esta doutrina espúria prega a idolatria da Arca, que segundo as Sagradas Escrituras, jamais poderia ser tocada, sob pena de imediata pulverização! A isto se misturam óleos e unguentos, audições de shofares e outras aberrações estranhas ao cristianismo. Tradições vazias na Nova Aliança, que foram deixadas para trás quando o Véu do templo se rasgou, tal qual a carne do senhor Jesus, pelas nossas vidas, na Cruz.

No culto uma senhora desequilibrada e incapaz de ler e entender o que está escrito nas Sagradas Escrituras profere as seguintes sandices:

1) A Arca representa a Glória de Jesus. Não minha senhora. Tão logo o Senhor Jesus fechou os olhos na Cruz, o véu do tempo se rasgou e, como o Próprio já havia vaticinado não passou muito tempo até que o próprio templo fosse destruído e a própria Arca retirada das vistas dos homens. Pois deste momento em diante, Jesus era o Caminho, A Verdade e A Vida e não mais seria necessário qualquer templo para sacrifícios, Arcas e que tais. Sem mais intermediários, vamos direto ao Pai e tudo o que havia naquele templo não é digno do Reino chegado.

2) Tocar na Arca para encontrar conforto. Só Jesus traz liberdade e conforto da Salvação. Buscar a Sua Glória em objetos feitos pelo homem é blasfêmia.

3) Não é uma simples arca, mas a presença do Senhor nesta noite. Sem comentários! Esta é a deixa para o diabo entrar neste templo, pois ali jazem aqueles que estão mortos em espírito naquele caixão em forma de arca. Seduzidos por um poder que os faz incapaz de ver a verdade.

Naquele tempo muitos ficarão escandalizados, trairão e odiarão uns aos outros, e numerosos falsos profetas surgirão e enganarão a muitos. [Mt 24: 10-11]

Ele fará uso de todas as formas de engano da injustiça para os que estão perecendo, porquanto rejeitaram o amor à verdade que os poderia salvar. Por essa razão Deus lhes envia um poder sedutor, a fim de que creiam na mentira, e sejam condenados todos os que não creram na verdade, mas tiveram prazer na injustiça. [2Ts.2:10-12]

4) Antes somente o sacerdote poderia entrar no lugar Santíssimo, agora você também pode. Sim! É verdade, em Cristo entremos no lugar Santíssimo, na presença do Senhor, mas, contudo, o lugar Santíssimo não é esta cabaninha meia boca, com esta arca de araque e toda esta ridícula decoração carnavalesca. Não minha senhora! Não é pagando bilhete para entrar nesta tenda de praia, nesta cabaninha de prostíbulo de quinta categoria que a senhora chama de tabernáculo que alguém estará apto a ter acesso ao lugar Santíssimo. Socorro! Gente! Acode este bando de cegos!

Já deu! Passou com honra no vestibular para falsa profeta. Veja Vídeo abaixo.



Observação do Blog: Me deu uma angústia, uma vontade de chorar ao ver esse vídeo. Falsos pastores e pastoras jogando fora o sacrifício de Jesus na Cruz, anulando o sacrifício do Cordeiro de Deus e voltando sob o jugo da Lei, adorando uma Arca, deixando Jesus do lado de fora da Igreja e deixando Satanás enganar ao povo, voltado à escravidão. Tenha misericórdia Deus do teu povo, que perece por falta de conhecimento (Oséias 4:6).

Fonte: Genizah

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Sinais do Fim dos Tempos

Uma das grandes expectativas é o fim do mundo. A Bíblia anuncia o fim deste sistema de vida a milhares de anos. E embora não tenha fixado o dia para a humanidade– “Mas a respeito daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus...” – Mateus 24.36, deixou muitos sinais para que ficássemos alertas a este respeito. Destacaremos cinco evidências.

Multiplicação da ciência: Daniel, 600 A.C, foi um dos que vaticinou sobre a evolução da ciência – “... e a ciência se multiplicará” – Daniel 12.4. Vivemos dias assustadores na área científica. Comunicação, transporte, informática, genética (mapeamento do genoma e clonagem de seres) e medicina, tem nos deixado maravilhados. E certamente vislumbraremos em breve outros milagres tecnológicos e científicos.

Multiplicação do pecado: A degradação moral tem atingido o nosso mundo. O Filho de Deus nos dias de Sua humanidade avisou: “E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor se esfriará de quase todos” – Mateus 24.12. Escândalos morais estão visíveis em todas as classes sociais e países. A perda da sensibilidade ética nas áreas da moral, vida social, vida familiar, sexualidade e religião, é uma triste realidade. Ao mesmo tempo que maravilhamos pela evolução científica, nos entristecemos pela involução moral.

Degeneração física: “E haverá...epidemias em vários lugares” – Lucas 21.11. Embora exista a evolução científica, muitos vírus (seres não codificados ou isolados) atingem milhares. A ganância humana, o aumento populacional, a rebeldia espiritual, a destruição da natureza, o consumismo, a modificação dos hábitos naturais de vida, tem sido os principais causadores dos males físicos.

Fenômenos naturais: A Bíblia aponta para fenômenos nos astros: sol, lua e estrelas – Mateus 24.29. O efeito estufa está previsto em Isaías 30.26, com o aumento da temperatura em muitos lugares. Terremotos e enchentes estão também previstos – Lucas 21.1, 25 e 26.

Globalização: Antes da segunda vinda de Cristo haverá um governo mundial – 1 Tessalonicenses 2:1-12; Apocalipse 13:1-18. A formação de blocos econômicos mundiais caminham para um único governo. Muitos já anunciam a idéia da “aldeia global” e equilíbrio na economia mundial. Os meios de comunicação nos aproximam, basta verificar o caso da rede mundial de computadores, a Internet. O processo já começou pela política econômica (primeiras necessidades), influenciará todos os povos e em todas as áreas, e culminará na teológica.

Todos estes sinais já ocorreram no passado, mas com a aproximação do fim, serão intensificados. A reflexão sobre estes acontecimentos não é para que sejamos movidos pelo terror. Mas, para que conscientemente nos aproximemos de Deus com amor. Assim falou o grande Messias: “Ora, ao começarem estas coisas a suceder, exultai e erguei a vossa cabeça; porque a vossa redenção se aproxima” – Lucas 21.28.

Ao vermos os sinais proféticos busquemos um sinal de salvação para as nossas vidas – O Cristo que morreu e hoje vive.

Fonte: Pr. Elias Alves, via PCAmaral

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Um Cristão pode se consultar com um Psicólogo ou Psiquiatra?


A questão de se um Cristão deva procurar ajuda de um psicólogo ou psiquiatra para superar doença mental está se tornando mais e mais popular. São muitos os psicologistas cristãos, psiquiatras e conselheiros, e Cristãos estão regularmente recebendo ajuda para doenças mentais, principalmente para depressão e ansiedade. Devido a alguns incidentes registrados nas Escrituras que lidam com sintomas que são semelhantes às doenças mentais de hoje em dia, muitos Cristãos acham que todos os problemas psicológicos são causados por demônios. No entanto, não há como saber se essas pessoas eram realmente doentes mentais no sentido de hoje em dia, ou se isso é ou não relevante. O problema é que há uma grande variedade de problemas psicológicos, alguns sendo emocionais, outros sendo físicos, mas todos têm em si um fator espiritual.

Um estilo de vida pecaminoso pode ser uma causa de depressão e ansiedade. No caso de um verdadeiro seguidor de Cristo, a pessoa precisa perceber que Deus quer que confessem seus pecados, arrependam-se, e voltem-se a Ele. A Bíblia nos diz que Satanás tem um grande poder de influência sobre as pessoas (2 Coríntios 4:4). É mais fácil obedecer à carne do que a Deus, porque Satanás quer que alimentemos a natureza pecaminosa que todos nós já possuímos. Os crentes são habitados pelo Espírito de Deus (Romanos 8:9-11), e o templo do Espírito Santo não pode compartilhar seu território com as obras da carne.

Uma outra coisa que as pessoas geralmente não levam em consideração é que Deus permitiu com que a humanidade desenvolvesse e criasse muitos tipos diferentes de remédios para curar. Se uma pessoa tem uma verdadeira doença mental causada por desequilíbrio hormonal ou químico no cérebro, então medicação talvez seja necessária. Isso não é diferente de ir ao médico e tomar remédio para um problema de tireóide, diabetes ou qualquer outro tipo de doença física. Isso não quer dizer que Deus não possa curar milagrosamente, porque Ele pode. Mas Ele nem sempre intervém dessa forma.

Querer ou não usar medicação é uma decisão pessoal. Isso é uma questão da consciência porque a Bíblia não trata desse assunto especificamente. Algumas coisas a serem consideradas são: O meu comportamento afeta outros, especiamente minha família? A minha doença está me causando a ser desobediente a Deus e rejeitando o trabalho do Espírito Santo através de mim? O meu testemunho para Cristo está sofrendo por causa dessa deficiência?
Se uma pessoa sabe que está doente, mas recusa-se a procurar ajuda por motivos egoístas, isso é um pecado. Se tomar medicação para doenças cerebrais é completamente contra às crenças dessa pessoa, e se essa pessoa já orou e meditou na Palavra de Deus, então ela deve discutir quaisquer alternativas com seu médico e pastor.

Não é um pecado tomar remédios que sejam necessários ou ver um psiquiatra. Isso não mostra falta de fé em Deus, apesar de que sempre devemos buscar a Ele primeiro para alcançar cura e direção. Ele quer estar em controle de todas as partes de nossas vidas, e devemos nos sentir livres para levar nossos problemas a Ele em oração para todas as circunstâncias e situações. Ele frequentemente usa medicações e terapeutas para curar Seus filhos.
Ver um conselheiro ou psiquiatra Cristão, no entanto, é definitivamente melhor do que um terapeuta secular, o qual vai aconselhar de um ponto de vista desse mundo, ao invés de um ponto de vista bíblico. Que as palavras de Davi nos encorajem: "Tirou-me dum lago horrível, dum charco de lodo, pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos. E pôs um novo cântico na minha boca, um hino ao nosso Deus; muitos o verão, e temerão, e confiarão no SENHOR" (Salmo 40:2-3).

Para um Estudo Bíblico Completo sobre Depressão, acesse aqui matéria em nosso Blog.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Homem esperava há 20 anos para ser Evangelizado

Depois de evangelizado, Salomão levou o evangelho a aldeias vizinhas

Ray Aker não podia acreditar no que ouvia. Nativo de Oklahoma, ele passou os últimos dois anos, compartilhando Jesus em uma área rural da China, sem ver uma única salvação, até agora. Deus levou Aker e uma pequena equipe de voluntários dos Batistas do Sul a um homem chamado Salomão, que vivia com sua família em um barraco de chão batido uma aldeia de montanha isolada. Aker contou a história do Evangelho e Salomão creu imediatamente.

Mas foi o que Salomão disse depois que Aker não pode esquecer. "Há vinte anos eu senti no meu coração que havia um Deus acima de tudo, mas não sabia nada sobre ele. Então eu orava todos os dias pedindo que Ele mandasse alguém para me dizer quem Ele era. E hoje Deus respondeu a minha oração”.

De acordo com relatos do missionário, essa foi provavelmente a experiência mais marcante que ele já teve com Deus no tempo missionário. "Não fiz nada de especial, foi Deus que ordenou o momento certo". Imediatamente Salomão começou a contar aos outros sobre um Deus único e verdadeiro. Rapidamente levou seis moradores da aldeia a Cristo, incluindo sua esposa e duas filhas. O pajé local tomou conhecimento e ameaçou publicamente, que se não parassem de falar do amor de Deus, seriam amaldiçoados e morreriam em três dias. Salomão recusou-se a ficar em silêncio, e no quarto dia, quando os moradores viram que ele ainda estava vivo, ninguém entendeu.

Salomão falou de Jesus para toda a aldeia. Em um único dia, mais de 80 pessoas se renderam a Cristo. "Essas pessoas vivem com medo de espíritos malignos. Tudo que eles fazem, seja a direção de sua própria, momento certo para casar e o que comer, é tudo baseado na tentativa de acalmar os espíritos malignos. Mas Salomão não teve medo de morrer porque confiou em Deus".

Quatro anos depois, Deus continua usando a influência de Salomão para trazer mais de 400 pessoas à Cristo em três aldeias vizinhas e está chegando a quarta. Três igrejas já foram plantadas. "Eu jamais conseguiria evangelizar todas as 147 aldeias em cinco meses. Por isso temos que treinar os crentes para chegar onde não chegamos", revela Ray Aker.


Fonte: BP News / Redação CPAD News, via Sabedoria do Alto

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Faculdade "Teológica" promete formar novos Edir Macedo


Visitando sites pela internet, eis que vejo um anúncio de uma faculdade dita "teológica" que promete a qualquer um que se matricule, se tornar um Edir Macedo da vida, através dos cursos oferecidos. Imagine a qualidade de ensino dessa instituição. Ser como esse homem que deturpa a Palavra de Deus? Que engana a milhões com seus falsos ensinos? Que utiliza o meio de comunicação que possui para promover imoralidade, mentiras, torpezas? Que utiliza ritos de feitiçaria dentro da própria igreja? Que usa o nome de Deus de forma abominável? Não, não quero ser como ele! Deus que me livre!

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Que Deus abençoe o Brasil, o seu povo e os seus novos governantes


Pronto. Acabou as eleições. Agora vamos voltar para a nossa tarefa do fazer teológico. Mas antes, um detalhe: nós cristãos somos cidadãos deste país e temos o direito de fazer nossa voz ser ouvida, independente de quem senta na cadeira do Planalto.

A nossa tarefa é orar pelos detentores do poder, mesmo discordando fortemente do governo:

Em primeiro lugar peço que sejam feitos orações, pedidos, súplicas e ações de graças a Deus em favor de todas as pessoas. Orem pelos reis e por todos os outros que têm autoridade, para que possamos viver uma vida calma e pacífica, com dedicação a Deus e respeito aos outros. Isso é bom, e Deus, o nosso Salvador, gosta disso. (I Timóteo 2. 1, 2)

Que Deus abençoe a 40º presidente do Brasil e que ela cumpra as promessas do seu discurso de vitória proclamado na noite do domingo. Que Deus abençoe o Brasil como uma terra que progrida e avance rumo a estabilização institucional, econômica e social. Que possamos ver mais educação e menos corrupção, mais emprego e menos violência, mais saúde e menos contrabando... Sim, o Brasil nunca será uma Suíça, mas não podemos nos conformar que a oitava economia do mundo ainda tenha tanta miséria. Vamos orar e trabalhar pela nação.

Que Deus abençoe Dilma Rousseff. Não votei nela, como sabem, mas cabe a nossa intercessão pela presidente do Brasil e que seu governo não cumpra nossas previsões mais pessimistas baseadas no realismo político nacional. Que sejamos frustrados, pois será uma boa surpresa!


segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Síndrome de Peter Pan: Amadurecimento Cristão


Essas palavras de Paulo são reveladoras. Ele diz que não devemos ser “como meninos, agitados de um lado para o outro” (Efésios 4.14). Não podemos permanecer crianças pelo resto das nossas vidas. O não crescimento e não desenvolvimento de um bebê é sinal de algum tipo de enfermidade ou anormalidade. Uma criança saudável e normal cresce e se desenvolve. É isso o que Paulo está dizendo aos cristãos. O novo-nascimento não é o bastante. Precisamos crescer, nos tornar maduros e cada vez mais parecidos com Jesus (Efésios 4.13). Deus não nos salvou e arrancou das garras do diabo a fim de que fôssemos crianças para sempre. Deus não planejou e nem deseja que sejamos bebês ou meninos espirituais por toda a nossa peregrinação nessa terra.

Na verdade, o diabo é quem tem esse desejo e projeto. Se ele não consegue nos aprisionar nas trevas, ele tenta nos aprisionar na infância espiritual. Se ele não consegue impedir-nos de encontrar com Deus, ele tentará impedir-nos de crescer em Deus. Se ele não consegue abortar o nosso novo-nascimento, ele tentará abortar o nosso crescimento. Ele trabalhará de todas as maneiras, usará de todos os seus estratagemas, lançará todos os seus dardos inflamados, enviará todos os seus ventos e sugestões para que permaneçamos simplesmente bebês espirituais, gente que não cresce, doentes na alma e no espírito, velhos no corpo e meninos na fé.

Meninos são fáceis de serem agitados e levados de um lado para o outro. Meninos são facilmente manipulados. Basta vir uma onda mais forte, um vento mais furioso, um argumento – aparentemente – mais convincente, um presente mais bem embrulhado, uma recompensa mais imediata, uma palavra mais colorida e os meninos se deixam levar. Os meninos não se levam a si mesmos, mas são levados pelos outros. São carregados por todos os que simplesmente têm a intenção de carregá-los. Não é necessário muito malabarismo para levar as crianças. As crianças são atraídas por tudo o que parece bonito e traz satisfação imediata. Por isso não é difícil fazer com que os meninos troquem os tesouros do amanhã pelas bugigangas do presente, as promessas de Deus pelas promessas do diabo, a Palavra do Senhor pela palavra do homem, a cidadania nos céus pelos prazeres transitórios do pecado.

Por essa razão, o apóstolo Paulo faz uma apelo em prol do crescimento dos cristãos! Não basta ter acontecido o novo nascimento; tem que haver crescimento. Jesus não morreu e ressuscitou simplesmente para salvar o ser humano da morte eterna, mas também para salvar o ser humano de uma infância perene. Jesus morreu, ressuscitou e concedeu dons aos homens para eles crescerem e chegarem “à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo” (Efésios 4.13). Nós não nascemos para não crescer! Pelo contrário, nós nascemos para nos tornarmos adultos! Enquanto o crescimento é normal, o não-crescimento é sinal de anormalidade. Um bebê que nasce e não cresce é um bebê anormal. Pela fragilidade da sua condição, ele precisa de cuidados especiais a fim de não ser levado de um lado para o outro, de uma enfermidade para outra enfermidade, de uma escravidão para outra escravidão.

Nós precisamos crescer! Não podemos permanecer debaixo da Síndrome e maldição de Peter Pan. Não podemos permanecer debaixo da escravidão de Satanás, sendo crianças por toda a nossa vida cristã. Jesus morreu e ressuscitou para nascermos e crescermos, para passarmos pela infância e chegarmos à maturidade. A nossa conversão e o novo nascimento não são o fim, mas apenas o início da nossa salvação. Nascemos de novo para crescermos de novo. Precisamos crescer até nos tornarmos mais parecidos com Cristo. Jesus é o nosso padrão de crescimento. Para sabermos o quanto já crescemos, basta sabermos o quanto parecemos com Jesus. Não basta dizermos que amamos Jesus, mas sim amarmos com Jesus amou, perdoarmos aos outros com Ele perdoou, relacionarmo-nos com o Pai como Ele se relacionou, obedecermos a Deus como Ele obedeceu, entregarmo-nos em favor dos outros como Ele se entregou, servirmos às pessoas como Ele serviu, desapegarmo-nos do mundo como Ele se desapegou, profetizarmos ao mundo como Ele profetizou, andarmos nessa terra como Ele andou.

Autor: Pr. Gustavo Bessa

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Diferenças entre Santidade e Legalismo


1. O santo se relaciona com Deus em amor, o legalista procura cumprir a lei em temor servil.

2. O santo vive em liberdade sob o espírito da lei, e não no claustro do detalhismo ético. Ele vê a moral cristã à luz do conjunto mais amplo de preceitos morais e do seu escopo principal: a glória de Deus e a felicidade humana; em vez de vê-la sob as trevas da obediência a detalhes morais, capazes de conduzi-lo à negligência do propósito essencial da norma ética.

3. O santo submete sua vida ao que as Escrituras revelam, o legalista procura impressionar a Deus com tolices criadas pelo homem. Para o santo, boa obra é apenas aquela que é praticada em amor e sujeição a preceito ético claramente revelado.

4. O santo sabe que entrará no reino dos céus pelo sacrifício de um outro que foi espancado e morto em seu lugar, o legalista não consegue entender uma relação com Deus que não seja baseada em performance.

5. O santo cai e se levanta, confiando mais na misericórdia de Deus do que na sua inocência, o legalista só se perdoa depois de haver expiado pessoalmente a sua culpa.

6. O santo se relaciona com Deus através de Cristo, o legalista se relaciona com Deus através da lei.

7. O santo ficou viúvo da lei e casou com Cristo, o legalista mantém o matrimônio com a senhora lei.

8. O santo é cara de pau. Participa da festa do amor do Pai como se nada tivesse acontecido. O legalista recusa-se ir para o salão de festa sem antes passar pela senzala.

9. O santo usa as Escrituras para revelar o amor gracioso de Deus pelos pecadores, o legalista usa a Bíblia para justificar a sessão de apedrejamento do que pecou.

10. O santo surpreende-se com a doçura da graça de Deus, o legalista espanta-se com a estreiteza do caminho que leva ao céu.

11. O santo é bom e justo, já o legalista costuma ser apenas justo. Em suma, o santo é justo, o legalista é justiceiro.

12. As crianças adoram a companhia do santo, o legalista as espanta.

13. O santo não se sente livre para ser mau porque Deus é bom, o legalista tende a ser tão mau quanto na lei olho por olho, dente por dente.

14. O santo tem sempre alguém na vida com quem pode falar sobre suas fragilidades morais, o legalista procura ocultá-las até de si mesmo.

15. O santo encontrou na vida um Deus amável a quem cultua em amor, o legalista encontrou na vida um justiceiro celestial a quem cultua de olhos secos.

16. O santo é progressista, o legalista é conservador. O santo conserva o que ainda é útil, santo e bom; o legalista conserva o que é relativo, temporal e anacrônico. O santo lê Nietzsche, Foucault e Freud, e retém o que é bom, encontrando ouro no meio do lamaçal; já o legalista lê as mesmas pessoas sempre, mantendo uma vida intelectual antisséptica, que o priva de aprender com quem, embora não ofereça boas respostas, faz boas perguntas.

17. O santo celebra a vida, o legalista só se sente bem quando está mal.

18. O santo não busca uma santificação que o desnaturalize, o legalista tenta viver como anjo

19. O santo surpreende-se com a condescendência divina em face da sua fraqueza moral, o legalista não entende como não é mais abençoado em face do seu desempenho ético.

20. O santo se relaciona com Deus através de Cristo, o legalista se relaciona apenas com Deus. Por isso, o santo encontra o Pai, o legalista o Diabo.

Fonte: Genizah (título original: Santidade e Legalismo: o caráter surpreendente do santo)

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Vídeo do Diante do Trono no Faustão


Ontem, dia 25/10, o ministério de Louvor Diante do Trono foi convidado por Fausto Silva para divulgar seu novo CD, gravado em Barretos e cantar seus grandes sucessos. Começando no segundo bloco do programa, o apresentador chamou a banda completa e Ana Paula Valadão, que tocaram Preciso de Ti, em seguida Faustão fez uma pergunta a líder do ministério e a interrompeu para falar sobre respeito e opiniões sobre religião, time de futebol, opção sexual e etc.

Ana Paula em seguida falou do poder de Deus em mudar as pessoas e de seu mais recente CD gravado em Barretos. Faustão em seguida abriu perguntas para a platéia, a primeira pergunta foi sobre a dimensão do Diante do Trono e a Pastora lembrou que é um instrumento para levar a Palavra de Deus aos pessoas e por estar falando naquele momento para o maior público de sua carreira, agradeceu a Globo pela abertura.

A segunda pergunta foi sobre uso, costumes e regras impostas por algumas igrejas. Ana Paula Valadão afirmou que a Igreja Evangélica é muito diversificada e que é possível cada um encontrar a igreja perfeita de acordo com seus gostos pessoais.

Ana Paula também falou sobre seu passado quando largou o curso de direito para ir para os Estados Unidos estudar teologia e a forma como é a administração dos membros do DT financeiramente. Ana Paula Valadão também afirmou que todo o dinheiro ganho com a venda de CDs e direitos autorais são doados para a Igreja Batista da Lagoinha.

A participação do DT no Faustão se encerrou com a música Tempo de Festa acompanhada animadamente por todo o público.



Fonte: Gospel+
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...