quinta-feira, 7 de abril de 2011

Evitando os erros da Igreja de Pérgamo - Apocalipse 2:12-17

A maior derrota da igreja é ser tragada pela influência do mundo. Grandes advertências bíblicas são proclamadas a este respeito (Tg. 4.4). E esta era precisamente a situação vivenciada pela igreja de Pérgamo.

Esta cidade era localizada em uma grande montanha, aos pés de um vale circunvizinho. Era a capital da província da Ásia. Ali esculápio, o deus da cura era cultuado, simbolizado por uma serpente, que os cristãos faziam uma analogia com satanás. Lá também havia o grande altar de Zeus, líder do panteão grego. Parece que tudo isso fazia desta cidade um antro de idolatria e libertinagem. Talvez o Senhor tivesse isso em mente quando chamou a cidade de “trono de satanás”.

Nós também corremos o risco de nos fazer amigos do mundo tanto quanto eles, mas o que fazer para termos uma fé íntegra, esperada e aprovada por Deus? Para responder esta pergunta sugiro a contemplação de um título: “Evitando os erros de Pérgamo.” Para tanto, sugiro que avaliemos quais foram estes erros e quais são as definições apresentadas para a santidade de acordo com a Bíblia.

I- O erro do mundanismo (v.13)

a) A identificação de Cristo (v.12) – Cristo é apresentado como aquele que tem a espada de dois gumes. Essa era uma temida espada usada na guerra. Sua associação bíblica é à Palavra de Deus (Hb 4.12). Portanto, vemos uma referência direta a ser Cristo o portador dessa Palavra, penetrante como espada de dois gumes.

b) O mundanismo (v.13) – É a perca da identificação da igreja de Cristo. É a maior falha da igreja. A igreja de Pérgamo, afim de não ser perseguida, absorveu a cultura mundana, sendo repreendida pelo Senhor. Antipas provavelmente se refira a um líder local. Esta igreja mesclava fidelidade e abandono das coisas de Deus. Ele deu sua vida em martírio, mesmo vivendo em meio a uma cultura satânica.

II- O erro da doutrina de Balaão (v.14)

a) Em que consistia esta doutrina – De acordo com o próprio texto e com os correlatos de Números 25.1,2; 31.16 era a prostituição com as filhas dos moabitas, elas convidaram o povo para oferecer sacrifícios aos seus deuses, pervertendo estes. O principal incentivador era Balaão (v.31.16).

b) Como isso acontecia em Pérgamo? – Os crentes eram incentivados a participarem dos cultos idólatras, sob o argumento que o ídolo nada é (1 Co 8.4). Estes rituais faziam os crentes escaparem da perseguição e muitos deles se prostituiam nestes rituais.

III- O erro da doutrina dos Nicolaítas (v.15)

a) Nicolaítas – Esta era a mesma heresia da igreja de Éféso Ap. 2.6. Alguns defendem que praticavam a mesma heresia dos discípulos de Balaão.

b) A falta de disciplina – Esta era uma igreja conivente com estes erros (“sustentam” v.14 e 15) . Não se exercia a disciplina eclesiástica, negando uma das marcas de uma igreja verdadeira.

IV- A orientação e Promessa (vv. 16,17)

a) A orientação (v.16) – Novamente a orientação é arrepender-se. Caso contrário o Senhor viria com a força de Sua Palavra e pelejaria contra eles.

b) A Promessa (v.17) – Ao vencedor é feita as seguintes promessas:

- O maná escondido – Uma referência a Cristo, como Pão do Céu.
- A pedrinha branca – Alguns vêem correlação com o urim e tumim dos sacerdotes do A.T. E outros com um diamante transparente.
- O novo nome – Alguns defendem um novo nome para os crentes, enquanto outros defendem que é o novo nome de Cristo dado aos crentes.

Conclusão: Amados a advertência ainda é pertinente. A associação com o mundo ainda hoje tem tragado a muitos. Talvez hoje não te chamem para sacrificar a ídolos, mas quantos são os convites para ser mais parecido com este mundo pagão? Negando a Cristo e sua Palavra e nos abstendo de nossas obrigações para com a santidade. Devemos, portanto, lutar para não sermos tragados com o mundo. Que Deus nos fortaleça para sermos o mais fiéis quanto possível. Amém.

Autor: Rev. Fabiano Ramos Gomes
Fonte: Evangelismo e Reforma, via Bereianos

3 comentários:

  1. temos que falr do Senhor Jesus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a paz do Senhor Jesus Cristo, amados! Devemos, sim, falar do Senhor Jesus, mas precisamos estar preparados para isso e principalmente santificados. Uma pessoa que pensa o que quer, falar tudo o que acha que é certo falar, e que vive de acordo com os usos e costumes do mundo, pode até falar, mas nunca ficará liberto. Pode até falar, mas fala por falar, são palavras levadas pelo vento que não tem efeito transformador na vida do ouvinte. E este é um dos principais motivos que nos leva a crer porque não temos visto mais milagres acontecendo em muitas dessas igrejas que estão em conivência com o mundo. Leia Isaias 6:1-9. Você verá que para anunciar o nome de Jesus, precisa ter a boca santificada pelo poder de Deus. Temos outros exemplos na Bíblia Sagrada, mas este com certeza, falará profundamente em seus corações. Abraços, em Cristo!

      Excluir
  2. Realmente, hoje as igrejas estão bastantes distorcidas, às vezes até pior que o próprio ímpio, pessoas que nunca conheceram a Deus às vezes dão mais exemplo que pessoas da igreja.

    Senhor Jesus, liberte suas ovelhas, não deixe que elas se prendam às falsas doutrinas, falsas igrejas, que de salvação não falam nada e, se falam, a coisa é mais fácil do que tudo... A porta é estreita, não é fácil servir a Jesus hoje! Os dias estão cada dias mais difíceis! Mas eu agradeço por aqueles que permanecem e clamo por aqueles que dão ouvidos!

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir

Você tem o direito de se expressar, mas se houver agressão, o comentário será deletado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...